PESQUISAS

Estudos de Gênero e Justiça: Fluxo da Violência contra Mulher

Tortura como marca cotidiana: narrativas sobre os serviços de atenção às vítimas de tortura desenvolvidos no Rio de Janeiro e em São Paulo

Os muitos governos da pandemia: gestões extra estatais da Covid-19 nas periferias urbanas do Brasil e da Argentina a partir de narrativas jornalísticas parental e violência doméstica: existe relação?

Alienação parental e violência doméstica: existe relação?

Pesquisa Percepção da Guarda Civil sobre a COVID-19

Pesquisa Homicídios no Brasil - 2016

Pesquisa Audiência de Custódia em Belo Horizonte

Pesquisa Avaliação IGESP

Pesquisa de Avaliação Continuada SEDS

Pesquisa de Avaliação da Percepção da Política de Integração

Pesquisa de Letalidade no Sistema de Defesa Social em Minas Gerais

Pesquisa de Percepção do Medo Minas Gerais

Pesquisa Escola Viva

Pesquisa Medidas Socioeducativas de Meio-Aberto

Pesquisa Nacional de Vitimização

Pesquisa Policiamento Comunitário


Estudos de Gênero e Justiça: Fluxo da Violência contra Mulher

Coordenação: Bráulio Figueiredo Alves Silva (coordenador) e Ludmila Ribeiro (sub-coordenadora)

Equipe: Isabella Matosinho, Isabela Araújo e Pedro Romano

Sumário: O estudo visa compreender os padrões e as regularidades da violência doméstica em Belo Horizonte nos anos de 2013 e 2018 no que se refere a sua associação espacial com indicador de Vulnerabilidade Social e, depois, em termos do desdobramento dos casos de Violência Doméstica contra Mulher (VDCM) dentro do Sistema de Justiça Criminal (SJC), o que inclui sobretudo análises sobre o “tempo” da Justiça

Financiamento: Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID)

Nota técnica final

 


Tortura como marca cotidiana: narrativas sobre os serviços de atenção às vítimas de tortura desenvolvidos no Rio de Janeiro e em São Paulo

Consultoras: Maria Gorete Marques de Jesus, Giane Silvestre & Thais Lemos Duarte

Sumário: A pesquisa visa compreender, através de metodologia qualitativa, os limites e as potencialidades dos atuais mecanismos de proteção a vítimas de violações nos países em questão. Através dos resultados obtidos nessa etapa de investigação, serão, por um lado, elaboradas recomendações a atores públicos e da sociedade civil, cujos trabalhos se voltam ao acolhimento de vítimas. Por outro, serão efetuadas medidas destinadas ao fortalecimento de alianças entre organizações e instituições do Sul Global preocupadas com a proteção de vítimas. A proposta deste relatório é apresentar os passos adotados durante o trabalho de campo de pesquisa efetuado no Brasil, apresentar os resultados alcançados no estudo e, ainda, propor recomendações voltadas ao fortalecimento dos serviços de atenção às vítimas de tortura.

Financiamento: A pesquisa do relatório foi encomendada pelo projeto: “Protegendo sobreviventes de tortura e maus tratos: dignidade, violência e direitos humanos em comunidades pobres” concedida pela Academia Britânica e implementada em colaboração entre a Universidade de Edimburgo (Reino Unido), a Universidade de Aalborg e Dignity – Instituto Dinamarquês Contra a Tortura (Dinamarca), Direito e Confiança da Sociedade (Sri Lanka), Centro de Justiça Social Mathare (Quênia). Os achados, análises e conclusões expressos no relatório são inteiramente dos autores e não expressam política oficial de Dignity.

Relatório Final

Voltar ao topo


Os muitos governos da pandemia: gestões extra estatais da Covid-19 nas periferias urbanas do Brasil e da Argentina a partir de narrativas jornalísticas

Coordenação: Ana Carvalho, Thais Duarte, Natália Martino, Ludmila Ribeiro e Valéria Oliveira

Sumário: A partir de uma pesquisa em fontes jornalísticas, o objetivo geral deste projeto é compreender, a partir de narrativas produzidas por veículos das imprensas argentina e brasileira com abrangência nacional, como são retratadas as gestões desempenhadas por atores extraestatais em espaços periféricos urbanos durante a pandemia de Covid-19, em comparação ao período alheio à “crise” na saúde pública.

Proposta da pesquisa e plano de trabalho

Voltar ao topo


Alienação parental e violência doméstica: existe relação?

Coordenação: Ludmila Ribeiro & Camila Cardeal

Sumário: De modo geral, essa pesquisa busca identificar quais são os discursos mais comumente enquadrados como práticas de “alienação parental”, bem como identificar quais são os serviços que administram esses problemas e/ou acolhem as vítimas desse abuso moral. Para tanto, cada será criado um formulário estruturado que tem como objetivo guiar a leitura dos materiais (como artigos, dissertações, teses ou sentenças judiciais), bem como a busca de informações em websites de instituições públicas ou nas redes sociais.

Proposta da pesquisa e plano de trabalho

Voltar ao topo


Pesquisa Percepção da Guarda Civil sobre a COVID-19

Nome da Pesquisa: O que a Guarda Civil Municipal de Belo Horizonte pensa sobre a COVID-19?

Sumário: Observando a Guarda Civil Municipal de Belo Horizonte (GCMBH), quais são as opiniões desses profissionais a respeito do seu trabalho durante a pandemia de Covid-19? Como essas mudanças alteram o seu trabalho e as suas relações interpessoais? Essa é a proposta deste estudo realizado pelo Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (CRISP/UFMG) em parceria com a GCMBH e a Secretaria Municipal de Segurança e Prevenção (SMSP).

Fonte de Coleta: Pesquisa 'online' com questionários preenchidos em unidades da GCMBH.

Parceria e Instituição Financiadora: Secretaria Municipal de Segurança e Prevenção (SMSP).

Data de Conclusão: 2021.

Sumário executivo da pesquisa sobre a Guarda Civil

Voltar ao topo


Pesquisa Homicídios no Brasil - 2016

Nome da Pesquisa: Políticas Públicas de Prevenção e Redução de Homicídios: A experiência do “Fica Vivo!”, em Belo Horizonte e do Pacto Pela Vida, em Pernambuco.

Sumário: Os homicídios constituem um problema amplo e grave no Brasil. Vários determinantes estão supostamente associados ao crescimento e à magnitude dos homicídios nos grandes centros urbanos: a baixa articulação e integração das organizações do sistema de segurança pública e justiça criminal, a fragilidade dos mecanismos de gestão, de bases de dados e dos sistemas de informação da segurança pública e justiça criminal, a ausência de monitoramento e avaliação das políticas públicas na redução dos homicídios e o desconhecimento das experiências nacionais bem sucedidas na redução dos homicídios. O presente projeto teve dois objetivos principais. O primeiro deles busca descrever e analisar dos padrões temporais e espaciais dos homicídios no Brasil como um todo. O segundo volta-se para dois casos casos que, num dado momento, chamaram atenção nacional e internacional por terem obtido resultados positivos no controle dessa modalidade criminal. Especificamente, busca-se avaliar o impacto (análise comparativa quantitativa e qualitativa) das políticas públicas implementadas nos estados de Pernambuco e Minas Gerais,  respectivamente denominadas de “Pacto pela Vida” e “Fica Vivo!”.

Fonte de Coleta: Análise de Dados Secundários e entrevistas com atores chaves das políticas avaliadas.

Parceria e Instituição Financiadora:  Secretaria Nacional de Segurança Pública - Ministério da Justiça (SENASP-MJ) e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Data de Conclusão: 2016.

Relatório Final Projeto Homicídios no Brasil
Relatório de Avaliação
Banco de Dados

Voltar ao topo


Pesquisa Audiências de Custódia em Belo Horizonte

Nome da Pesquisa: Audiências de Custódia em Belo Horizonte: um panorama.

Sumário: O presente texto tem por objetivo apresentar a dinâmica das Audiências de Custódia em Belo Horizonte bem como dados provenientes da observação dessas audiências, acompanhadas entre setembro de 2015 a março 2016. O trabalho de campo foi realizado pela equipe do Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (CRISP) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em parceria com o Instituto de Defesa do Direito de Defesa (IDDD), organização convidada pelo Ministério da Justiça (MJ) e Conselho Nacional de Justiça (CNJ) a cooperar com a implementação do projeto.

Fonte de Coleta: Observação e preenchimento de questionário.

Instituição Financiadora: CNPq.

Parceria: Instituto de Defesa do Direito de Defesa.

Data de Conclusão: 2016.

Relatório da Pesquisa

Voltar ao topo


Pesquisa Avaliação IGESP

Nome da Pesquisa: Avanços e Limites do Processo de Integração dos Órgãos de Defesa Social em Minas Gerais: Uma Avaliação da Metodologia IGESP.

Sumário: A pesquisa teve o objetivo de compreender em que medida o desenho original da metodologia IGESP (Integração e Gestão em Segurança Pública) foi implementado pelos órgãos do Sistema de Defesa Social no Estado de Minas Gerais. Tratando-se de uma proposta de avaliação do processo de integração em si mesmo, os avanços e limites de um ponto de vista institucional mais geral, bem como organizacional e cognitivo.

Amostra: A amostra foi composta por um total de 2.137 agentes policiais divididos entre: Policiais Militares (oficiais e praças); Polícia Civil (delegados, agentes e escrivães), abarcando 16 municípios sede das regiões Integradas de Segurança Pública (RISP) do Estado de Minas Gerais, a saber: Belo Horizonte; Contagem; Vespasiano; Governador Valadares; Juiz de Fora, Montes Claros; Uberaba; Uberlândia; Ipatinga; Divinópolis, Lavras, Patos de Minas, Curvelo, Teófilo Otoni; Unaí; Barbacena.

Fonte de Coleta: Metodologia de survey- entrevista em uma amostra de determinada população.

Instituição Financiadora ou Parceira: Secretária de Estado de Defesa Social.

Data de Conclusão: 2009.

Formato do Banco de Dados: (.sav) SPSS.

Livro de Códigos
Relatório de Avaliação
Banco de Dados

Voltar ao topo


Pesquisa de avaliação continuada SEDS

Nome da Pesquisa: Avaliação da assimilação dos cursos relacionados à temática dos Direitos Humanos e seus impactos na percepção que os policiais têm do seu cotidiano profissional

Sumário: A pesquisa investigou questões relativas à capacitação em Direitos Humanos que a Secretaria de Estado de Defesa Social (SEDS) oferece aos seus operadores. Ou seja, compreender em que medida os operadores do sistema de defesa social efetivamente assimilaram os conhecimentos trabalhados nos cursos de Direitos Humanos realizados em 2008 e, principalmente, como esse processo impacta a percepção que os policiais têm de sua rotina profissional.

Amostra: A amostra foi composta por um total de 587 (quinhentos e oitenta e sete) operadores do sistema de defesa social que realizaram o curso de Direitos Humanos no ano de 2008.

Fonte de Coleta: foram aplicados questionários estruturados em uma amostra dos profissionais capacitados, com o objetivo de traçar o perfil sociofuncional destes operadores. As entrevistas foram realizadas por telefone, seguindo um roteiro-guia ou roteiro institucional.

Período de Coleta: agosto a dezembro de 2009

Data de Conclusão: 2009

Formato do Banco de Dados: (.sav) SPSS.

Livro de Códigos
Relatório Expectativas
Relatório Anexos I, II e III
Banco de Dados
Banco de Dados 2
Relatório Elaboração do Instrumento de Coleta
Relatório Validação dos Instrumentos de Coleta Capacitação dos Pesquisadores
Relatório Trabalho de Campo Processamento de Dado
Relatório Final

Voltar ao topo


Pesquisa de Avaliação da Percepção da Política de Integração

Nome da Pesquisa: Pesquisa de Avaliação da Percepção da Política de Integração

Sumário: Este trabalho pretende aferir o nível de legitimidade e institucionalização da política de integração das polícias em Minas Gerais, alcançado junto aos profissionais da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) e da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG). Destarte, este estudo visa analisar as condições políticas, econômicas, sociais, culturais e tecnológicas, assim como as relações que essas organizações estabelecem entre si para o desenvolvimento da integração policial em Minas Gerais. Pretende-se, também, analisá-las na perspectiva dos atores organizacionais, ou seja, conhecer, no nível intraburocrático, os aspectos que afluem para o êxito ou fracasso da consecução dessa política pública.

Amostra: As unidades policiais foram classificadas segundo o seu tamanho, expresso pela quantidade de Delegados e Agentes (Polícia Civil) e Oficiais e Praças (Polícia Militar) à sua disposição. O total de delegados e agentes de polícia e de oficiais e praça alocados nas 16 cidades sedes de RISP totalizando uma amostra total de 2075 agentes.

Fonte de Coleta: Metodologia de survey- entrevista em uma amostra de determinada população.

Data de Conclusão: Dezembro de 2009

Formato do Banco de Dados: (.sav) SPSS.

Livro de Códigos
Banco de Dados Percepção Politica Integração SEDS 2009
Relatório Produto I
Relatório Produtos II e III
Relatório Produto IV
Relatório Produto V
Relatório Final

Voltar ao topo


Pesquisa de Letalidade no sistema de defesa social em MG

Nome da Pesquisa: Pesquisa de Letalidade no sistema de defesa social em MG

Sumário: A presente pesquisa tem como objetivo fornecer informações sobre o andamento da pesquisa de “Letalidade da Ação Polícia em Minas Gerais 2008/2009” à Superintendência de Avaliação e Qualidade de Atuação do Sistema de Defesa Social (SASD)

Fonte de Coleta: Metodologia de survey- entrevista em uma amostra de determinada população.

Instituição Financiadora: Superintendência de Avaliação e Qualidade de Atuação do Sistema de Defesa Social (SASD)

Período de Coleta: Primeiro semestre de 2008 até segundo semestre de 2009

Data de Conclusão: 2009

Livro de Códigos 2008
Banco de Dados 2008
Relatório Final 2008
Livro de Códigos 2009
Banco de Dados 2009
Ralatório Final 2009
Relatório Letalidade SEDS Produtos III, IV, V, VI 2009

Voltar ao topo


Pesquisa de Percepção de Medo MG

Nome da Pesquisa: Pesquisa de Percepção de Medo MG

Sumário: A pesquisa na qual o presente relatório se baseia teve como objetivo produzir, coletar, organizar e analisar informações relativas à percepção de medo, em especial o impacto que a violência e criminalidade produz no sentimento de segurança da população dos municípios do Estado de Minas Gerais, nos anos de 2008 e 2009. Esta pesquisa ocorreu em duas etapas. Essa técnica tem como objetivo de mensurar uma variação na percepção de medo da população mineira.

Amostra: Decidiu-se alocar 1500 entrevistas na capital Belo Horizonte, 1000 em nas cidades da RMBH, 1150 em nos municípios pólos regionais das macrorregiões e 1550 no restante do estado de Minas Gerais, entre as cidades pequenas (com população menor que 10 mil habitantes).

Fonte de Coleta: Metodologia de survey- entrevista em uma amostra de determinada população.

Período de Coleta: Na primeira etapa, foram realizadas entrevistas entre os meses de abril e junho do ano de 2008. Na segunda etapa foi realizada uma nova enquete entre os meses de agosto a novembro do ano de 2009, com as mesmas pessoas entrevistadas no ano de 2008.

Data de Conclusão: 2010

Formato do Banco de Dados: (.sav) SPSS.

Livro de Códigos 2008
Relatório Final (.docx) 2008
Relatório Análises sócio-econômicas e de Criminalidade - Organização das Bases de Dados 2008
Relatório Sugestão de Perguntas para Formulário 2008
Banco de Dados 2008
Relatório de Seleção Treinamento dos Entrevistadores 2008
Relatório de Andamento do Campo de Pesquisa 2008
Relatório de Pré-teste 2008
Sugestaõ de Perguntas para Formulário 2008
Livro de Códigos 2009
Relatório de Andamento do Campo de Pesquisa 2009
Aspectos Sócio-econômicos e Criminalidade Violenta 2009
Relatório de Pré-teste do Questionário e Treinamento dos Entrevistadores 2009
Banco de Dados 2009
Relatório Final 2010

Voltar ao topo


Pesquisa Escola Viva

Sumário: O presente relatório apresenta uma descrição geral de todo o trabalho de campo realizado para operacionalização da pesquisa “Violência em Escolas e Programas de Prevenção: estudos sobre os possíveis impactos do projeto ‘Escola Viva, Comunidade Ativa’ nas Escolas Estaduais de Minas Gerais”.

Amostra: A amostra da pesquisa aplicou questionários em um estrato composto por 244 turmas de 86 escolas da rede pública estadual, perfazendo um total aproximado de 5.250 estudantes alunos e 244 professores submetidos a este instrumento de coleta.

Fonte de Coleta: Metodologia de survey- entrevista em uma amostra de determinada população.

Período de Coleta: junho de 2012

Data de Conclusão: 2013

Formato do Banco de Dados: (.sav) SPSS.

Livro de Códigos Alunos
Livro de Códigos Professores
Banco de Dados Alunos 2013
Banco de Dados Professoes 2013
Relatório Descritivo sobre trabalho de Campo da Pesquisa 2012
Questionário do Aluno 2012
Questionário do Professor 2012
Roteiro de Entrevista com Diretores 2012

Voltar ao topo


Pesquisa Medidas Socioeducativo de Meio-Aberto

Sumário:  Este projeto teve como objetivo caracterizar o sistema socioeducativo em meio aberto do estado de Minas Gerais, especificamente, realizar mapeamento estadual que contemple a identificação dos municípios de médio e grande porte que desenvolvem programas socioeducativos em meio aberto, proporcionando informações acuradas a esse respeito que sejam capazes de subsidiar o fomento ao processo de descentralização de tais medidas. Tal mapeamento também busca identificar a participação dos municípios na execução ou não de medidas socioeducativos em meio aberto, além dos atores que compõem a rede socioeducativa ou de defesa dos direitos da criança e do adolescente no município, tais como Conselho de Direitos, Delegacia Especializada, Juizado da Infância e Juventude, ONG e outras entidades da sociedade civil que atuam nesta esfera.

Amostra: Foram respondidos 405 questionários em 19 municípios

Fonte de Coleta: Metodologia de survey- entrevista em uma amostra de determinada população.

Período de Coleta: entre o mês de novembro de 2008 e março de 2009

Data de Conclusão: 2009

Formato do Banco de Dados: (.sav) SPSS.

Livro de Códigos
Base de Dados 2008
Relatório Qualitativo Socioeducativo 2009
Relatório Quantitativo Socioeducativo 2009
Relatório Qualitativo Medidas Socioeducativas 2011
Relatório de Atividades do CRISP-UFMG 2008
Relatório SócioEducativo Meio Ambiente 2008
Treinamento dos Pesquisadores 2008
Questionário Instituições Públicas de Atendimento
Análise das Entrevistas respondidas pelos técnicos e adolescentes dos programas 2008
Análise das Entrevistas respondidas pelos técnicos e adolescentes dos programas 2008 2

Voltar ao topo


Pesquisa Nacional de Vitimização

Relatório Final
Sumário Executivo
Apresentação em PowerPoint
Banco de Dados RMBH

Voltar ao topo


Pesquisa Policiamento Comunitário

Nome da Pesquisa: Pesquisa Policiamento Comunitário

Sumário: Este documento tem como objetivo apresentar os resultados da pesquisa (survey) realizada em Companhias e Batalhões de Polícia Militar, em Minas Gerais, em 2008 / 2009. De forma geral, tal trabalho objetivou obter informações acerca do processo de implementação do Policiamento Comunitário em Minas Gerais. Para tanto, procurou conhecer, também, as percepções policiais acerca dos seus diferentes públicos de atuação, os modos como essas percepções afetam a rotina da atuação policial e, de maneira mais ampla, seus impactos sobre o processo de implementação do policiamento comunitário.

Amostra: Foram enviados um total de 1160 questionários, mas o retorno foi de 905 questionários respondidos dos batalhões; dos 960 questionários enviados aos praças (Soldados, Cabos e Sargentos) retornaram 805; e dos 200 questionários enviados aos oficiais tivemos um retorno de 100.

Fonte de Coleta: Metodologia de survey- entrevista em uma amostra de determinada população.

Período de Coleta: 2008 e 2009

Formato do Banco de Dados: (.sav) SPSS.

Livro de códigos Oficiais 2008
Livro de códigos Praças 2008
Relatório Preliminar 2008
Base de Dados Oficiais 2008
Base de Dados Praças 2008
Relatório Policiamento Comunitário 2008
Policiamento Comunitário Análise Dados 2008
Questões do Survey - Questionário 2008
Livro de Código Oficiais 2009
Livro de Códigos Praças 2009
Relatório da Pesquisa de Avaliação Policiamento Comunitário 2009
Base de Dados Oficiais 2009
Base de Dados Praças 2009
Relatório Final Policiamento Comunitário 2009 PDF
Relatório Final Policiamento Comunitário 2009 DOC

 

Voltar ao topo